quarta-feira, março 01, 2006

Hist�rias do pr�dio ao lado

O PARTO DA RITA AVIZINHA-SE

Estava um dia lindo de sol. Embora corresse um aragem desagradável resolvi levar o cão até ao parque ( os animais têm destas necessidades!). Lá andava a Rita com o Sebastião, pela trela. Nem parecia ter frio mostrando a sua grande barriga grávida de final de tempo ( é bonita, esta moda de as grávidas exporem a barriga!).
- Olá Rita, como vai isso? Quantas semanas?
- Olá Marisa! 36 semanas
- Está quase...
- Sim, o meu médico disse-me que não devo chegar às 40 semanas. Andava mortinha por a encontrar... é parteira, não é?
- Sou, embora esteja aposentada.
- Ofereço-lhe um chá naquele café que fica ao pé do nosso prédio, aceita? Preciso muito de falar consigo
- Está bem, vamos - disse eu.
Sentámo-nos num canto abrigado da esplanada (não eram permitidos cães no interior do estabelecimento) com os animais deitados aos nossos pés.
- Eu e o joão - começou a rita depois de pedir o seu chá e uma torrada com muita manteiga - temos pensado e discutido acerca do local e do tipo de parto a que me devo submeter. Ele quer que eu vá para o hospital onde ele trabalha ou para a clínica de uma migo mas eu decidi que quero ter o meu filho em casa
- A sério?
- Não podia estar mais a sério. O único problema é que não sei se consigo fazer tudo sozinha e o João, embora discordando, põe a condição de haver alguém com preparação técnica no momento.
- E foi aí que se lembrou de mim... interessante...
- Desculpe... pareceu-me que, morando lá no prédio, facilitava muito a minha aventura...
- Fascinante... sinto-me lisonjeada!
- Ajuda-me , então? - e um sorriso tímido e ansioso bailava-lhe no rosto bonito
- Sim mas há um problema...não tenho qualquer material.
-Isso não é problema - o sorriso era já aberto - o João tem um colega que trabalha numa clínica e pode pedir o material lá.
-Optimo. Sendo assim podem contar comigo... com uma condição
- Qual? - a ansiedade voltou ao seu rosto
- Tem de me prometer que se alguma coisa me parecer não estar a evoluir dentro da normalidade não se opõe a recorrer ao hospital
- Isso?! Claro. O João estará presente. Tomaremos todos so cuidados para que o meu filho nasça em casa mas nasça muito bem. Obrigada

2 comentários:

Heavenlight disse...

Bonita ideia, essa de ter um bebé em casa. Espero que corra tudo bem e que nasça um bebé lindo e saudável. Depois irei visitar a Rita. E, Marisa, o acto de ajudar uma criança a vir ao mundo é dos mais corajosos e bonitos que conheço. Parabéns!
Luana

Confessionário disse...

Puxa... É interessante. A maior parte das minhas irmãs nasceu em casa. Mas é arriscado. Se temos onde nascer com condições, porque há-de ser em casa. Não sei não! Mas acho interessante na mesma. Em que hospital nasceu o menino? Em casa. Fica melhor. hehe. E tb fica mais fácil o registo. hehe. Mas , apesar de brincar cm o assunto, continuo a cahar interessante.