sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Hist�rias do pr�dio ao lado

UM ENCONTRO NA PORTARIA

- Boa tarde D. Margarida!
- Não me chame dona, por favor, Margarida, apenas. Boa tarde Luana ( posso chamá-la assim?!)
- Claro ! Como está a Joaninha?
- Bem. Estamos em fase de matar as saudades depois de tanto tempo separadas.
- Pois, é verdade...não a tenho visto...
- Estive no Egipto, numa expedição científica - um projecto da Universidade...
- Ah! Por isso vi a Joana, algumas vezes, com a D. Marisa...
-Sim, a Marisa fez-me o grande favor de tomar conta da minha filha enquanto estive fora. Elas dão-se muito bem.
- Mudando de assunto... Não tenho visto muitos dos inquilinos do prédio. Até parece que se mudaram.
- Estive a pensar em convocar uma reunião do Condomínio.
- Boa ideia Margarida. Realmente isto está muito parado... pode ser que, depois da remodelação do espaço fisico, as coisas melhorem por aqui.
- A Rita já terá tido o bebé? Não a tenho visto. Nem a ela nem ao João...
_ Não sei... Talvez a D. Marisa saiba de alguma coisa. Vi-as há uns dias a conversar no café, aqui da esquina...

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Redecorações - Luana

Estou feliz!!!
O prédio foi redecorado: paredes pintadas de fresco, com cheiro à Primavera que se aproxima e ao Outono que inicia sempre um ciclo de renovação. Eu própria resolvi redecorar também o meu apartamento e torná-lo mais convidativo e alegre, com um toque de vida e outro de alegria de viver.
Espero que este novo look do prédio contribua para que os meus vizinhos apreciem mais o prédio e voltem a enchê-lo de sorrisos, dúvidas e emoções...
Luana

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

A margarida volta ao seu posto

Estive fora com uma equipe de arqueólogos da universidade. Quando a oportunidade surgiu , no final do primeiro período, mem queria acreditar. Primeiro porque eu, sendo uma caloira do primeiro ano, não podia aspirar a tal acontecimento. Segundo, por causa da minha filha. Levá-la comigo estava fora de questão. E, ainda, havia o Jorge...
Mas ás vezes a sorte bate-nos à porta e é necessário reunir a coragem necessária para resolver aceitar os desafios. Os candidatos à expedição desistiram à última da hora porque era no Egipto e o risco de atentados terroristas tinha aumentado consideravelmente nos últimos meses. Depois, embora estivessemos proximos do natal, a minha vizinha, a D. Marisa, ofereceu-se, e até insistiu, para ficar com a Joana enquanto eu estivesse fora. Quanto ao Jorge, mais uma vez me surpreendeu ao apoiar-me incondicionalmente, dizendo que não podia deixar fugir tal oportunidade. E assim, lá fui eu para o Egipto onde passei os últimos 3 meses em escavações no vale dos reis. Não foi exactamente aquilo que eu imaginava depois de ter visto os filmes do Indiana Jones ou lido os livros da Agatha Christie mas foi uma experiência única, debaixo de um sol abrasador e algumas saudades do inverno de Portugal e da minha querida Joaninha.
Voltei. O prédio está desolador. Os inquilinos fecharam as casas e deixaram de dar notícias. Isto não pode continuar assim...temos de fazer uma reunião de condóminos, saber quais os apartamentos que se encontram devolutos e, se for caso disso, ver quais é que temos de despejar... (Parece-me tão drástica esta medida!... ) Fico á espera que digam alguma coisa ou que deixem as chaves na portaria...

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Alguém me ouve??

Caros vizinhos:
Tenho vindo ao Prédio todos os dias, e infelizmente não vejo posts novos por parte de nenhum de vocês... Ainda não postei porque tenho andado à espera que alguém escreva algo passível de continuação, mas parece que o prédio, salvo raras excepções - como é o caso da Júlia (welcome :P) - está abandonado...
Gostaria de saber quem é que, efectivamente, ainda faz parte do prédio e as vossas sugestões para o melhoramento deste blog (o que é que querem introduzir/eliminar, etc). Por favor deixem os vossos comentários ou se quiserem um contacto mais pessoal enviem email para moonlightgirl48@hotmail.com
Fico à espera das vossas respostas, pois desta forma não sei eu própria se vale a pena continuar ou não no prédio.
Um abraço,
Luana