sexta-feira, junho 27, 2008

Regresso - Luana

Entrei no prédio e olhei em volta. Parecia estar tudo bem agora, já não havia aquele cheiro a queimado e a... à ameaça da morte. Mas também já não havia a decoração em que eu participara e de que gostara tanto. Esta parecia-me mais... despida, mais impessoal.


Pousei as minhas duas malas no hall de entrada e esperei até a D. Margarida aparecer.
- Luana! Então, como estás? Pensava que não irias voltar!
- Mas aqui estou, D. Margarida. Como está tudo por aqui?
E ela contou-me. Contou-me como a vida do prédio se desmoronara, como as pessoas tinham desaparecido. Contou-me também como novos inquilinos tinham chegado e começado a encher de uma nova força este espaço. Deu-me um abraço e eu senti-me em casa.
Renascida. Feliz.
Depois de ter estado tanto tempo fora, pensei que teria medo de voltar e enfrentar alguns fantasmas, mas agora estava mais forte.
Passei muito tempo na Escócia, a desenvolver um trabalho de investigação para a Universidade, e adorara. Não só me embrenhara no trabalho como fizera também alguns amigos, bons amigos, e nunca sentira, durante o tempo em que permaneci ali, a necessidade de me castigar com engates ou com cortes no corpo. Essa parte de mim parecia ter ficado em Portugal, no passado, e eu queria agora viver o presente, só o presente, e tentar gostar da minha vida.
Subi ao meu quarto e desfiz as malas. Depois voltei a descer pelo elevador e bati à porta da D. Margarida, que logo me convidou a entrar e tomar um chá.
- Conte-me - pedi - Quero saber todas as novidades.

1 comentário:

maria mendes disse...

Ainda bem quw voltaste! Fiquei muito feliz com o regresso da Luana

margarida