segunda-feira, março 17, 2008

MÁRIO VENTURA

Sou novo no prédio. Acabo de me mudar para o 1º esq. com vista para o pátio das taseiras.
Há uns tempos que havia ouvido falar deste prédio. Fui colega do João. Trabalhávamos juntos no hospital. Éramos amigos. Vivi com ele as suas inseguranças, a felicidade que a gravidez da Rita lhe trouxe,a tristeza da morte do filho e a decisão de abalar para Paris, aceitando a proposta de estagiar num Hospital Pediátrico.Soube que, entretanto, a Rita foi viver para casa dos pais.
Estou separado. A minha mulher, médica como eu, estava casada com o emprego. Havia dias em que nos víamos, apenas de passagem, no hospital.Almoçar ou jantar juntos? De vez em quando na cantina do hospital. Já não aguentava aquela vida... Peguei na Beatiz, a minha gata - a única femea a que algum dia fui fiel- meti algumas roupas na mochila e eis-nos aqui neste primeiro andar.Por enquanto não estou interessado em grandes aventuras por isso este ambiente calmo serve-me que nem uma luva. Bem...a calmia é quebrada pelo ladrar furioso do cão do pátio quando se vê desafiado pela Beatriz a espreguiçar-se no peitoril da varanda. Se ele a apanhasse...

Mário Ventura

2 comentários:

Lavínia Matos disse...

Este espaço é muito interessante, diferente do habitual. Parabéns, é realmente fantástico.

anokas disse...

Encontrei um interessante episódio da vida.Amamos,construimos,criamos...e de um dia para o outro mudamos e deixamos para trás aquilo que um dia acreditámos com toda a firmeza, com a esperança de que dias melhores virão ou que pelo menos piores não hão-de ser, Será? Quem sabe?