quarta-feira, novembro 02, 2005

Tinha de voltar...

Posso tentar arranjar as desculpas que quizer, posso dizer que tento fugir do meu passado que teima em me perseguir...mas a verdade é que fujo apenas e só de mim....aqui a única pessoa que não se consegue separar do passado sou eu...
Aprendi a viver numa realidade que é só minha, esta ansia de ser amada é muito superior ao considerado normal, aprendi a fechar os olhos enquanto vendia o meu corpo e a imaginar que quem me tomava nos braços me amava, que quem passava a boca no meu corpo e me agarrava com força me iria sempre proteger.
Fugi de casa, fiquei uns tempos em casa da minha irmã com a desculpa de que estava mais próxima do trabalho. Quando a verdade é que me continuavam a bater á porta para me comprarem umas horas de prazer e que eu mesmo dzendo que me iria deixar disso me deixava comprar, não pelo dinheiro mas pela história que eu inventava enquanto partilhava a minha cama.
Mudei tudo, mudei hábitos, mudei de telefone, mudei de maneira de vestir e pentear, mudei de cor de cabelo, de uma maneira desesperada tentei apagar a Maria que queria partir.
Hoje voltei...tinha saudades da minha casa, agora o tempo começa a ser de inverno, chove quase todos os dias e as noites são bem mais longas...tinha saudades...
Deixei morrer as plantas, chorei por isso, sentada no chão da sala tentei perceber se a partir de hoje iria ter coragem para deixar morrer o meu passado e toda a gente que fez parte dele...
Ao fundo a música de um apartamento qualquer...deixei-me embalar naquele som abafado...

6 comentários:

mar disse...

Sê bem-vinda, Maria!
Gostei mt que tivesses voltado. às vezes, fugir dos lugares ajuda a fugir de nós pp (falo por mim) mas não chega para esquecer o passado. Temos de aprender a viver com ele e a não deixar que ele nos indique o caminho do futuro pq, esse, somos nós que o decidimos. O passado é apenas isso, passado. Recomeça a tua vida a partir do ponto em que estás, hoje...o passado morreu com as plantas que deixaste no apartamento. Agora, redecoras a casa, compras plantas novas e recomeças a vida. Até podias trazer o teu filho...q achas?
beijos

margarida

Laura Antunes disse...

Concordo com a Margarida, alem do mais uma fase é apenas uma fase, não é a vida da pessoa. Abraço Laura

maresia disse...

lembram-se daquela música dos BC, o refrão dizia qualquer coisa como "gina, o teu corpo é um negócio, já não gostas dessa vida, deixa de ser p*** fina..." relata a queda de uma menina que sempre teve acesso a tudo e teve de bater no chão para dar um rumo à sua vida. se calhar já bateste tu também no teu fundo, agora é sempre a subir... os santos não ajudam mas a força está, com certeza, dentro de ti!

Heavenlight disse...

Ainda em que voltaste. Sou tua vizinha; espero poder conhecer-te e conversar contigo um dia. Quem sabe não poderemos tornar-nos amigas?
Ainda nunca falei contigo, portanto não sei nada de ti. Para mim serás uma pessoa nascida naquele momento, apenas com um futuro para viver.
Um beijinho,

Luana

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Roberto Iza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.