sexta-feira, junho 17, 2005

João: hoje falo eu :)

O prédio tema andado calmito! Vejo poucos vizinhos no elevador, não encontro ninguém nos corredores! será do calor?

Hoje quando me levantei, preparei-me para ir trabalhar, mas não consegui sair de casa, sem antes me voltar a deitar ao lado dela. Fiquei a ve-la dormir, estava calma, leve, bonita! Não consegui desviar os olhos do corpo dela, percorri-o, apreciei-o...vi que a amo mais do que tudo! Quis abraça-la mas tive medo de acordar, então apenas percorri a minha mão pelos cablos dela, beijei-lhe o ombro despido, beijei-lhe os lábios... ela acordou e disso "Bom dia!" ainda meio estremunhada pelo sono!
Pousei-lhe a mão nos olhos e disse: "Dorme!" e ela qual criança sonolenta virou-se de lado e continuou a dormir, coçando o nariz com as costas da mão...como sempre faz antes de adormecer!

Sai de casa, meti-me no elevador e fui para o hospital...vou chegar atrasado, mas o meu dia já está ganho!

João, 3º dto

6 comentários:

Brian disse...

Bela descrição...estas mesmo apaixonado. :)

BlankPage disse...

Devias dizer-lhe "amo-te"...

contadordehistorias disse...

O dizer amo-te pode tornar-se tão banal... é preciso mostrá-lo na forma de corpo...

BlankPage disse...

Mas se o sentes porque não? Por vezes existe a vontade de o dizer e a vontade de o ouvir...claro que é impossível adivinhar os pensamentos de alguém...mas deve-se tentar algo que é recíproco..

Post scriptum - o corpo também se pode tornar banal...

impressaodigital disse...

:) na altura achei que dizer "amo-te" não mostraria mais do que o meu gesto...além disso a Rita com sono não ouve quase nada! :)

João

maresia disse...

mais do que amor, chama-se a isso cumplicidade... a facilidade em sermos nós e deixarmos o outro ser ele no instante dos encontros. ainda bem que não disseste nada, não era preciso. às vezes as palavras só estragam a magia.