quinta-feira, julho 07, 2005

Encontros

Arranjei emprego... a minha irmã ajudou-me nessa tarefa e agora estou a trabalhar numa agencia de publicidade, atendo os telefones, faço alguns recados na rua e ajudo em contactos e nas coisas que me vão pedindo. São todos simpáticos para mim.
Trago almoço todos os dias, ajuda-me nesta árdua tarefa de conseguir sobreviver com o parco dinheiro que ganho em relação aos gastos. Depois com o tempo que me sobra vou dar uma volta ao centro comercial que fica mesmo aqui em frente, olho as vitrines, compro um gelado ou bebo um café, o tempo acaba por passar e volto de novo ao escritório.
Um dia destes enquanto circulava pelos corredores do centro alguém me chamou pelo nome a que já não estava habituada a ouvir:'-Maria...'
Detive-me surpresa e ao mesmo tempo apreensiva...se me tratava assim é porque era alguém do meu 'passado'...ainda pensei em fazer-me de parva e dizer que devia estar a confundir-me com alguém, mas depois de o ver, com um ar meio perdido...afável...deixei que se aproxima-se, acabei por ouvir num relato meio atabalhoado que tinha perdido a mulher, recebi ainda um pedido de desculpas por me ter deixado sózinha no restaurante da última vez que nos vimos...
Lembrei-me logo dele, durante todo o tempo em que tinha levado aquela vida ele tinha sido a única pessoa que me pagara apenas para estar com ele a conversar, tinhamos ido jantar, coisa a que não estava habituada que fizessem, geralmente era paga para estar fechada dentro de um quarto de hotel ou até mesmo dentro de um carro , nunca para andar a desfilar em frente a outras pessoas. As pessoas que me procuravam demonstravam desde logo o pouco á vontade de serem vistas comigo em público, por isso me lembrei logo do António...tinha sido diferente...
Aceitei o café e ouvi o que ele me quiz contar, lamentei e não tive coragem de o aconselhar a não perder o filho...se eu fazia o mesmo...apesar de muita coisa ter mudado na minha vida, ainda não sentia confiança para ir buscar o meu...
Deu-me o seu número de telefone, queria compensar-me daquela saída repentina da última vez...já lá iam...5 anos...tanta coisa mudara nestes últimos tempos...decidi contar-lhe que a minha vida agora era outra, que já não fazia o que fazia antes. Abraçou-me num repente...deixando-me boquiaberta...sorriu e disse que estava feliz por mim...
Enquanto me dirigia para o escritório pensava no António e dava-me conta que gostava do geito dele...poderia ser um bom amigo, alguém com quem eu poderia ir ao cinema , ou até mesmo beber um café á beira mar...alguém que me podia aconselhar e que eu até gostava de ouvir...
Lembrei-me do Pedro...possivelmente iria ligar-me este final de dia para passar lá em casa...o Pedro era alguém que também conhecia o meu passado e que costumava de tempos a tempos passar lá por casa e acabar por ficar a noite comigo...o Pedro apenas me via dentro de casa...nunca saimos...nunca recebi um convite para sair...nem ao menos um jantar...mas falarei dele numa outra altura...

4 comentários:

mar disse...

Olá maria!

Estamos mt contentes por teres voltado mas, desculpa, tenho de te "puxar as orelhas" por não teres respeitado o dia "escalado" para ti (6/7)...

Espero que consigas manter o rumo que tentaste dar à tua vida. É estranho como o passado se entrelaça com o presente e nos está, sempre, a aparecer!...

beijo

mar(margarida)

maria santos disse...

sorry...prometo esforçar-me para não voltar a falhar...apenas peço que me avisem...beijinho...

MrX disse...

Boa sorte nessa grande mudança na tua vida! Pessoalmente, penso que fizeste bem! Com o tempo irás compreender as compensações...

Beijo,
Mário

contadordehistorias disse...

-Estou maria? Sou eu o António. Estou a ligar-te porque tenho dois bilhetes para o teatro. Um amigo meu que trabalha na companhia arranjou-me uns bilhetes e pensei que talvez gostasses de vir. Desculpa se calhar liguei em mau momento, e estou a incomodar...desculpa... beijos... liga-me quando puderes...


amtonio