sábado, julho 30, 2005

mente baralhada

Andei a evitar a Marta durante toda a semana. Mas ontem ela veio cá a casa.
Disse que me achava estranha que mal falava com ela. Eu disse que não tinha nada, que era impressão dela. Mas ela continuava a dizer que algo se passava. Até que ela própria, me deu a desculpa:
- Estas com saudades da tua família não é?- disse.
Disse que era isso mesmo, que até estava a pensar lá ir passar uma semana para aproveitar as festas de Agosto.
- Fico mais descansada. Até achei que estivesses chateada comigo.
Para ver se o rumo da conversa mudava disse:
- Bem, tenho de te mostrar a minha casa. Não há muito para ver. Mas uma coisa garanto, tenho a melhor vista para a cidade.
Quando lhe mostrai a cozinha, abria a janela para ela ver o pátio do prédio. E quando estava a dar meia volta para continuar a minha visita guiada ela chamou-me:
- Oh Viky! Anda cá ver isto.
Ela apontou para a janela do meu vizinho do lado. Pisquei os olhos varias vezes para confirmar que estava a ver bem. E realmente estava mesmo a ver o meu vizinho em pleno acto sexual.
Olhei para a Marta como que a pedir desculpa, mas ela sorriu e voltou a olhar para a janela. Desejei que ela voltasse as costas para continuarmos a visita, mas ela continuou a olhar. Por momento lembrei-me da noite em casa dela, seria aquela a cara que eu estaria a fazer ao vê-la? Espantada com o interesse dela limitei-me a olhar também.
Passado alguns momentos em silencio, ela voltou a olhar para mim e disse:
- Sabes. Gosto de ver uma boa foda.
Sem pensar respondi que também.
-Também?! Muito me espanta a menina. O que falta saber mais sobre ti?- disse ela com ar de brincadeira.
E foi aí. Foi nesse momento que eu lhe contei tudo. Não queria guardar nem mais um segundo o peso que tinha dentro de mim. Contei o que tinha visto, naquela noite em casa dela, tentei explicar que não tinha sido por mal que olhei por acaso e que depois não fui capaz de deixar de olhar. Desculpei-me dizendo que talvez fosse a minha curiosidade em saber como era.
Ela ficou a olhar para mim durante alguns segundos que mais pareciam dias, aproximou-se de mim, beijou-me ou lábios olhou para mim, sorriu e foi-se embora sem dizer uma única palavra. Eu fiquei parada a olhar para a porta da cozinha, de coração leve, mas com a mente baralhada.

1 comentário:

impressaodigital disse...

a tua amiga também gosta de ver!
:)
talvez seja uma coisa natural ehehe
fizeste bem em dizer,o beijo que te deu nos lábios é talvez a mostra daa compreensão dela ctg, da aceitação!