quarta-feira, agosto 17, 2005

O meu dia ERA dia 21

Mas o Adamastor que engula as regras e atire isto tudo para o mar, se assim for preciso.

Só vou comentar uma coisa: como é que alguém pode ambicionar um projecto de partilha e convivência de gentes diferentes e vidas dinâmicas, um projecto abrangente, crescente, interactactivo, de desgaste ou de glória, de confronto de ideias e sentimentos, eliminando à partida o factor essencial, inerente, à sua existência? A liberdade de expressão sem hora marcada!!!

Será que alguém percebe o que estou a dizer? Se hoje me apetece gritar com o vizinho de cima, porque tenho de esperar para gritar dia 21 de mil novecentos e troca o passo? Nesse dia, já eu terei analisado, resgatado, apagado, corrigido, embelezado a palavra escrita e esta já nada dirá do que senti quando a escrevi no momento.

Quando saiu a regra do dia fixo, insurgi-me por causa própria, só própria, é verdade. Quem anda no Mar tem dificuldade em marcar encontros datados em Terra. Os ventos nem sempre sopram de feição... Senti, logo ali, uma limitação, uma obrigação daquelas que não podem existir na vida, não podemos restringir o tempo da vontade. Talvez hoje tenha algo a dizer, dia 21... ninguém pode garantir!

A justificação, no meu entender, não faz qualquer sentido: permitir que cada um tenha um dia seu e um tempo para ser comentado. Desculpem mas, quando saio de casa, da de cimento e pedra, só posso dizer bom-dia a quem se cruza comigo se estiver estipulado em reunião de condomínio? Ou só posso responder ao convite para entrar no elevador se for o meu dia de partilhar a companhia daquele vizinho? Santa Onda da Praia Azul... Na vida temos de aprender a gerir a nossa liberdade junto com a liberdade dos outros no decorrer de cada dia!

Já uma vez pensei partir, vender ou alugar o meu 7º esquerdo. Na altura fiquei, por uma razão sem razão, como é meu costume, o chá de um vizinho. Agora... não sei! Se este projecto não sair triunfante talvez crie um por aí, sem outras regras que não as da dignidade e respeito pelo próximo. Não será um prédio, essa ideia é de quem a criou, talvez um submarino, que condiciona muito mais o espaço físico e psicológico de quem lá está semanas seguidas...

Enfim, tenho dito e não me arrependo! Boa sorte a todos.

4 comentários:

Hrrada disse...

True!

contadordehistorias disse...

Estás no teu direito de expressar a opinião, tal como eu expressei a minha. Tens o dever de respeitar a minha como eu respeito a tua. Face à situação que descreves, sabes que as limitações impostas sempre estiveram à merce das vossas vontades podendo ser alteradas quando vocês assim o entendessem desde que todos chegassem a um acordo. Nada disso vos foi "imposto" pois não? O que foi proibido que não pudesse ser sujeito a discussão? Creio que fui explicito na minha anterior explicação. Expliquei os meus motivos e a minha posição, nunca entrei na liberdade de outros, tal como não permito a entrada de outros na minha liberdade. Os meus motivos de saida são claros e apenas a mim dizem respeito sem afectar terceiros, no entanto se isto provoca uma necessidade de reflexão sobre a situação de cada um, isso já me transcende. Em suma, somos responsáveis pelas nossas atitudes e pensamentos, o que resulta das mesmas no comportamento de outros são efeitos colaterais que nos transcendem. Tenho dito.

maresia disse...

tens e tenho dito, era isto que se esperava, ou não? uma troca de visões, vontades, formas de estar. Em vez de estarmos a comentar, porque não fazer um texto independente, se assim o justificasse?

gostei mesmo muito que comentasses assim o meu post, assim mesmo como o fizeste. com garra, com a expressão da tua opinião. com a tua interpretação própria do que eu disse. porque na vida, também é assim que as coisas acontecem, um diz, o outro interpreta, os dois "discutem" e nascem novas ideias!!

Tive em tempos uma conversa com uma pessoa que me perguntava porque é que eu tinha tanta vontade de conhecer gente, de ter "amigos", se os que eu tinha não eram bons ou suficientes. a minha resposta foi muito clara. eu gosto de conhecer pessoas, sobretudo as que têm opiniões diferentes da minha, isso ajuda-me a crescer!

Gostava muito de também poder crescer aqui.

Heavenlight disse...

Srª Porteira,

Estive a ler atentamente as histórias deste prédio e também os comentários. Tal como escrevi no e-mail que lhe enviei, penso que estas histórias dariam um livro bastante interessante, sobretudo porque todos os inquilinos deste prédio escrevem bem e têm uma criatividade fantástica.
Gostaria de alugar o 5º trás, se ainda estiverem a admitir novos inquilinos. Concordo com as regras e penso que o convívio com a Maria poderá vir a tornar-se interessante.
Se quiser apreciar a minha escrita, tal como os restantes inquilinos, poderá fazê-lo no blog www.heavenlighthoughts.blogspot.com
Poderá contactar-me através do e-mail moonlightgirl48@hotmail.com.

Obrigada.

Ana